Peru: cultura, história, natureza e misticismo

18/2/2021 | Cultura

Um país que possui uma bagagem histórica e cultural única, o Peru esbanja belos cenários naturais e uma energia única em todo seu território. Com abundante diversidade, sua singularidade está estampada no artesanato, música, dança, arquitetura, gastronomia e muitos mais. Cada um de seus muitos atrativos emana a personalidade da cultura inca.

Cultura essa que deixou sua herança marcante na espiritualidade, nos costumes e nos diversos locais considerados sagrados.

Conhecer o Peru é a chance perfeita de viver uma experiência muito completa, que desperta todos os sentidos. Não é à toa que, em 2017, o país recebeu o prêmio de Principal Atração Turística Mundial, pelo World Travel Awards.

Em 2018, continuou figurando tendência no turismo, se destacando como 4º melhor destino para viajar, segundo o jornal Estadão. E em 2019, foi anfitrião de um dos maiores eventos multiesportivos, os XVIII Jogos Pan-Americanos.

Em breve, quando a rotina de viagens puder ser retomada com toda a segurança, a Sumond ficará muito honrada em poder te proporcionar essa experiência. Por enquanto, vamos te apresentar os destaques dessa viagem inesquecível.

Machu Picchu: a Milenar Montanha dos Incas

A antiga cidadela dos Incas, por muito tempo, no período colonial, ficou perdida sendo redescoberta em 1911. Sem dúvida é a “menina dos olhos” dos peruanos, uma das mais impressionantes atrações turísticas do planeta.

É um patrimônio histórico-cultural valiosíssimo, hoje declarada uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. A 2.400 metros de altitude, pertence à Cordilheira dos Andes e está na região do Vale Sagrado dos Incas.

Principal ponto de encontro com a história da civilização Inca, construída como local de residência de um de seus governantes, o Sapa Inca Pachacutec. Construída de pedras, sua engenharia impressiona pelo encaixe perfeito entre uma rocha e outra.

Abriga diversos templos sagrados, como:

  • Templo Intihuatana: Construção com quatro lados que representam os pontos cardeais, e por isso, funcionava como um calendário solar aos Incas, indicando os solstícios e equinócios.
  • Templo do Sol: O Deus Sol é o deus que os Incas mais cultuavam em cerimônias de agradecimento. Esse templo possui janelas em perfeito alinhamento com o sol quando no solstício de verão.
  • Templo do Condor: O Condor é uma ave representativa da fertilidade pelos Incas, por isso o templo foi construído em sua homenagem.
  • Templo da Lua: Esse templo fica escondido na Montanha Huayna Picchu, e é onde os Incas faziam rituais de mumificação.

A experiência de chegada às duas montanhas é marcante, com oportunidade de admirar o maravilhoso visual natural de toda a região montanhosa e contemplar a energia mística por meio do silêncio e da meditação.

Cusco, o “umbigo do Mundo”

Cusco é uma cidade desenvolvida pelos Incas, tida como a Capital da era incaica. Ainda hoje preserva muitos sítios arqueológicos e templos daquela época, mas a presença colonial também é marcante.

A começar pelo centro histórico, na Plaza de Armas – principal praça da cidade – estão construções da época colonial com os estilos arquitetônicos barroco, gótico e renascentista. É adornada com uma bela fonte e muitas árvores. Bem em frente fica a Catedral Principal de Cusco que mais parece um castelo, contendo em seu interior três naves, mais doze capelas menores.

O Mercado Municipal de Cusco vale a visita pela pechincha aos variados produtos de origem andina, bastante representativos do Peru. Mas também não deixe de visitar o Mercado San Pedro, que é o ideal para conhecer os aromas, sabores e costumes mais típicos peruanos.

Partindo para as construções arqueológicas que são grandes riquezas do país, Cusco ostenta os mais impressionantes complexos de origem Inca. Qoricancha, da língua quéchua – idioma Inca – significa “recinto de ouro”, todo feito em pedras entalhadas e encaixadas perfeitamente. Esse é o principal templo dedicado ao deus Sol.

Sacsayhuaman é uma monumental fortaleza cercada por um muro de cerca de 400 metros de comprimento. É onde acontece todos os anos, no solstício de inverno, a famosa Festa do Sol.

Nos arredores de Cusco é possível conhecer outros três sítios arqueológicos interessantes:

  • Qenqo: São ruínas construídas de pedras onde haviam aquedutos e recintos como o Anfiteatro, a Sala Mortuária e o Observatório Astronômico.
  • Pukapukara: Enorme complexo de ruínas Incas, construído com muitos terraços e escadas.
  • Tambomachay: Centro religioso Inca de culto à água, onde aconteciam os “Banhos Incas”.

Vale Sagrado dos Incas

Como o próprio nome diz, o Vale Sagrado dos Incas é uma vasta região marcada pelas maravilhas naturais, pelos encantos religiosos Incas e por pequenas cidadelas (povoados) que ainda guardam costumes dessa civilização milenar.

Os sacerdotes Incas denominaram esse vale como sagrado pois afirmavam que a sua formação era uma projeção exata da Via Láctea, onde constelações consagradas eram vistas. Um lugar místico, que preserva sítios arqueológicos importantes.

Veja:

  • Ollantaytambo

Além de ser uma pequena cidade, abriga um dos mais conhecidos complexos arqueológicos do Vale Sagrado. Ollanta, como é conhecido, da língua quéchua significa “lugar de descanso”, e é uma das construções mais gigantescas contendo templos, residências e muros.

Historicamente, o sítio foi projetado para ser um centro militar, contendo torres para vigilância do alto; religioso, abrigando um Templo do Sol dedicado ao deus Sol; e agrícola, contendo terraços sobrepostos que aumentam a produtividade.

  • Chinchero

Esse povoado é conhecido pela produção de roupas típicas do Peru, muito coloridas, apelidando-a de “cidade arco-íris”. Tem população de descendentes Incas, com tradição forte que se apresenta na tecelagem original de lavagem de lã, retiradas diretamente das Alpacas, Lhamas e Vicunhas.

O forte legado cultural também aparece em suas construções e costumes típicos como a produção agrícola, a criação de animais, o processo têxtil e a famosa feira de artesanatos aos domingos. 

  • Moray

Mais um exemplo do talento do povo Inca, a construção desse sítio arqueológico, na cidade de Maras impressiona. Todo feito em pedras, é composto de plataformas circulares concêntricas, projetadas de baixo para cima, permitindo o cultivo de variados produtos agrícolas, devido aos vários níveis de solos que ajudam no maior controle do clima, temperatura e altitude, qualificando o plantio e a colheita.

  • Salineras

Também na cidade de Maras, esse incrível sistema de terraços com tanques tem grande importância econômica para o Peru, por abastecer quase o país todo, ainda com capacidade para exportação do sal produzido ali.

São cerca de três mil salinas – fontes de renda da população dessa região. O funcionamento é engenho, através de uma montanha por onde descem águas salgadas, formando grandes poças nos tanques que, ao evaporar, secam o sal deixando-o pronto para coleta.

Lago Titicaca – o lago navegável mais alto do mundo

Esse famoso lago é uma extensa área aquífera no Peru, localizado na cidade de Puno, a cerca de 4000 metros de altitude. O Titicaca divide suas águas com a Bolívia, ostentando magníficas paisagens naturais.

Os passeios de barco são os principais atrativos do lago, levando turistas para conhecer as ilhas de destaque da reunião, os colhedores povos nativos, bem como suas tradições, costumes, culinária e artesanato. Uma oportunidade de contato muito autêntico com a cultura do Peru.

Sem dúvida, as Ilhas Uros são as mais peculiares por serem flutuantes, feitas com totora – uma espécie de palha que cresce à beira do lago, construídas pelos nativos. Os Uros foram uma civilização anterior aos Incas que viviam (descendentes ainda vivem) ali.

São cerca de 40 ilhas onde a população tem um estilo de vida rústico e simples, vivendo da pesca e de artesanatos típicos.

Outras ilhas também recebem gentilmente viajantes que queiram realizar uma imersão de vivências em tradições e costumes desses povos. A Ilha Taquile detém em seu centro, por cima de uma montanha, uma maravilhosa vista para o lago.

A Ilha Amantani preserva costumes milenares, por isso ali é realizado um turismo vivencial onde o turista pode pernoitar na casa de um local, participando por um dia do estilo de vida desse lugar. Saboreando comidas típicas, observando o trabalho desenvolvido e participando de festividades tradicionais usando as mesmas vestimentas.

Um destino que se mistura com a história da Sumond

Todas as qualidades descritas acima fizeram do Peru um destino muito especial na história da Sumond. A empresa já organizou mais de 30 grupos de imersão cultural e gastronômica no país.

O CEO Fernando Dellazari, coordenou grupos, pessoalmente, mais de 20 vezes. O que lhe conferiu experiência e um amplo repertório de todas as regiões do destino. Inclusive, sua história com o país começa antes da existência da empresa. 

No início de sua trajetória profissional, acompanhou grupos rodoviários, que partiam de ônibus do Rio Grande do Sul, atravessavam Argentina, Deserto do Atacama no Chile, Bolívia e chegava ao Peru.

Uma experiência incrível, de 17 a 18 dias em ônibus super confortáveis, e uma sensação única de realmente conhecer cada pedacinho da estrada e atravessar a cordilheira.

Se quiser conhecer as diversas possibilidades de roteiro para este destino especial, entre em contato com a Sumond!